quarta-feira, 30 de janeiro de 2008

Um menino

Havia de ser assim, um menino com o coração insaciável, condolente com coisas que lhe era dito. Caminhava pela multidão perdido, sem direção, sufocado por querer o que não poderia ter.

Vivendo e aprendendo, sentindo e deixando-se sentir.

Vitórias são tão grandes quanto sua dificuldade. Há valores que jamais são perdidos, por mais que os desgaste, há sentimentos que apenas expandem com a distancia.

Havia de ser assim, fé em suas próprias palavras, amor por suas conquistas, fidelidade ao seus sonhos.

Ele não queria revolucionar o mundo nem ao menos tentar ser um ídolo, apenas desejava ficar junto ao seu amor, todo o sacrifício um dia se foi junto com o menino. Lastima, pereceu, caminhou mais uma vez sem rumo, mergulhou em um abismo.

De olhos fechados imaginou seu amor, recriou cada brilho, fez-se sentir cada sentimento. Abriu os olhos e viu a realidade escura, e que a distancia aumentara e os sentimentos mais fortes que nunca.

Nenhum comentário:

Postar um comentário