domingo, 4 de outubro de 2009

Esperança

Olha a vida e esperança, despojamos nossos versos, com sonhos de alegrias. Tenhamos fé nas preces feitas com coração.
Escuta o canto dos pássaros, veja na beleza de uma flor, sinta na complexidade das constelações estrelares. Me diga, é belo?
É obra de Deus, que nós deu a vida, que nós fez livres, que nós deu o dom de amar.
E o amor, dádiva graciosa, desconhecida por muitos, que só conhecem o rancor, e o ódio, amor que é desconhecido e se desdobra por fronteiras, que se faz ardente com a paixão, que se faz carinhoso como amor de amigos, é protetor como amor paterno e materno, que fidedigno como amor de irmãos.
E deve ser assim, que corações abatidos pela discórdia, desamparados, traídos, corações com rancor  e ódio, sejam cobertos novamente pelo amor, que surja esperança de paz onde há guerra.
Façamos nossos deveres com amor, e que amemos as pessoas sinceramente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário