quarta-feira, 28 de outubro de 2009

Turbulência, capitulo 4

Vitor está um pouco confuso, mas feliz, toma um banho e sai para comprar algumas coisas para o café, deixando um bilhete para Caroline, “querida volto logo”, porém quando ele volta, ela não está mais em sua casa, escrito em baixo de seu bilhete, tem uma mensagem de Caroline, “tive uma ótima noite, mas tenho compromisso com hora marcada, me liga quando poder”.
Caroline tinha ido, mas o sorriso em Vitor continuava, enquanto arrumava as almofadas do sofá a campainha toca, abre a porta, e quando olha é sua prima Jenifer, linda, parecia que o tempo não tinha passado, continuava com aquela carinha de quando tinha 18 anos, a Lolita dos seus sonhos, parecia que mine-saia e blusa decotada era seu uniforme, mesmo sem fazer nada já o provocava. Ela deu um rápido “oi”, e correu para abraça-lo, beijando calorosamente perto de seu pescoço, o abraço durou um bom tempo.
- Oi, Jenifer! Achei que só chegava a tarde.
- Resolvi vir mais cedo, estava com saudades do meu priminho, estive pensando muito em você.
- Bom, vamos tomar um café?
- Claro, onde posso colocar minhas  malas?
- Você pode colocar no quarto ao lado do meu, acho que vai se sentir bem lá.
- É claro, eu estava desesperada por um lugar para ficar, quando seu pai disse que eu poderia ficar com você fiquei muito feliz.
- Eu vou arrumar o café e você arruma suas coisas.
Jenifer levou suas malas para o quarto, Vitor preparava um café, pensou na sorte que foi Caroline ter saido antes que Jenifer chegasse, e o quanto sua Lolita continuava sexy e provocante.
Vitor estava começando a colocar as coisas na mesa, quando Jenifer chegou atrás dele beijando seu pescoço e falando:
- Estava morrendo de vontade de te abraçar, você ficou muito mais bonito.
- Rsrsrs. Brigado, você é e sempre foi muito sexy, e me deixa com um tesão que não consigo controlar.
- Vitor então se virou e segurou sua Lolita pela cintura, lhe beijando, levantou-a e colocou em cima da mesa. Foi beijando seu decote, tentando alcançar o a ponta dos seus seios, ela ia levantando a sua blusa, ele beijando em seu pescoço e tirando a calcinha dela, realmente foi algo muito quente, muito carnal e era o que ambos queriam.
Após acabarem, ambos tomaram uma ducha, Vitor com um olhar vago e distante, arrepende-se do sexo, pensa em Caroline, como foi bom estar com ela, da conversa engraçada que tiveram, que se sentiu completo, mas com sua Lolita foi diferente, foi apenas ação, talvez nada mais que uma fantasia do passado, e o remorso percorreu em sua pela, talvez entre água que caia do chuveiro, também escorresse alguma lagrima dos olhos de Vitor.
Vitor vai ao seu quarto se secar, então que a campainha toca, e para ajudar na confusão Jenifer enrolada em uma toalha vai atender, logo após chama Vitor: “Tem uma tal de Caroline querendo falar com você”!
Continua...
Será que Vitor via se safar dessa? Ele optará entre uma das duas? Caroline vai acreditar que Jenifer é uma prima? Caroline vai querer ver Vitor novamente, mesmo a prima morando com ele? O que Jenifer vai pensar?
Descubra no próximo capitulo de turbulência!
Faça parte da história, coloque nos comentários (anonimo ou não) o que você faria no lugar de um dos personagem.

2 comentários:

  1. Hades, cadê o resto da história????

    ResponderExcluir
  2. Vou escrever mais depois, ta faltando criatividade, e queria algumas dicas pra continuar a história...

    ResponderExcluir