domingo, 29 de novembro de 2009

Autópsia de um amor, parte 9, Não existe amor, apenas provas de amor

Eu fico pensando, normalmente você sabe que ama uma pessoa. Porém mesmo que uma pessoa te diga que te ama, como ter certeza?
Palavras, frases, juras de amor, não são o amor, apenas tentam te fazer acreditar nele. Então como colocar a prova um amor?
A melhor forma de provar um amor é o tempo, pois o tempo coloca a prova tudo, o tempo separa a paixão do amor. Ao passar dos dias se descobre, que nem sempre estamos dispostos a sorrir, e são nesses dias de infelicidade que o verdadeiro amor é o único que fica ao seu lado.
E claro eu também haveria de ter meus dias de mau humor, e minha bipolaridade¹ se destacava as vezes com um tom bem azedo, e nesses dias que não foram muitos, Afrodite me fascinava com sua doçura, me fazia sorrir e me “aturava” quando eu mesmo achava algo impossível.
Eu queria muito retribuir a paciência e carinho, mas sempre que Afrodite tinha algum problema familiar, ou simplesmente estava para baixo, preferia se fechar e não tocar no assunto, até hoje não tenho certeza dos motivos que a levava não me deixar ajudar ou ao menos ouvi-la, talvez fosse ruim para ela não falar de coisas felizes, ou não queria me chatear com seus problemas. Deve ser o que a maioria dos homens quer, não saber dos problemas de sua namorada, mas no meu idealismo é necessário ter cumplicidade de todos sentimentos, não há prova melhor de amor que poder viver com as diferenças entre cada um, com a felicidade e a tristeza, superando o que for necessário superar.²

¹Tecnicamente eu não sou bipolar, mas quem muda de humor com facilidade é o que?
² Essa parte até me lembra algo como, na riqueza e na pobreza, na saúde e na doença.

Um comentário:

  1. Bela história, gostei muito dela e do blog também.

    Vou acompanhar aqui sempre que puder.
    Até!

    ResponderExcluir